Vocação ou retorno financeiro?

Vocação ou retorno financeiro?

imagem psico organizaçõesA maioria dos jovens quando terminam o ensino médio criam inúmeras dúvidas em relação ao rumo que irá tomar em relação a sua escolha profissional. Alguns seguem carreiras já trilhadas pela família, por modismo profissional ou até mesmo fazem escolhas por profissões que têm o melhor retorno financeiro.

As pessoas têm um grande receio, o que é natural, em escolher cursos pouco tradicionais ou que apresentem um mercado de trabalho restrito. Todos nós queremos sair da faculdade e já iniciar uma carreira promissora na área que escolhemos. Quando isto não ocorre, é muito frustrante para o recém-formado que muitas vezes desiste da profissão escolhida.

Não podemos negar que o sucesso financeiro é importante. O dinheiro é um dos pilares para a realização do profissional, mas não podemos trabalhar com o sentimento de realização com aquilo que não gostamos de fazer.  Então como unir a vocação e o dinheiro?

dinheirofelicidade1Hoje em dia, com a diversidade de oportunidades, podemos ter acesso a diversas alternativas para suprir os anseios de plena realização profissional. Não acredito que alguém ainda viva com a desculpa: “trabalho com isso porque preciso, não porque gosto!” Aquele que realmente tem um pouco de força de vontade e tem o real desejo de seguir sua vocação, deve fazer isso. Quando você ama o que faz, é quase impossível não se destacar de alguma forma.

Então o que fazer, se você já se encontra profissionalmente infeliz com os resultados financeiros e internamente não está satisfeito com suas escolhas?

Que tal?

Texto 2 - 03

1.      Criar um hobby que tenha a ver com sua vocação? Você é um programador, mas seu sonho era ser Chef de cozinha. Se você tem talento para isso, invista seu tempo vago para se dedicar ao que te faz bem.

2.      Estudar? Estudar nunca é tarde. Não é necessário deixar de lado sua profissão atual, mas você pode se preparar para abraçar um novo caminho.

3.      Sua vocação é algo inatingível para você? Procure instituições, nas quais você pode oferecer seu trabalho como voluntário na área de seu interesse. Você terá inúmeras chances de aprender coisas novas sem comprometer seu atual trabalho.
Quando você busca ser feliz fazendo o que gosta, o dinheiro se torna uma consequência, pois você realizará suas tarefas com mais alegria, mais entusiasmo!

Para toda profissão é preciso amor ao que se faz, buscando habilidades a ela inerentes, para então, receber a remuneração justa por isto. Uma vendedora de sucesso pode receber um salário superior a R$ 3.000,00, enquanto que um advogado pouco dedicado à profissão pode ter dificuldades em receber um salário mínimo. Na verdade o que conta é a dedicação do profissional e o talento nato no que se faz.

Nos estágios, o estudante tem a oportunidade de aprender muito, fazer contatos e adquirir experiência, recebendo uma pequena bolsa ou nenhuma remuneração por isto, porém esta experiência pode ser decisiva numa seleção que exija um conhecimento prévio na função.

img2O profissional, precisa sim, querer uma remuneração que o satisfaça, batalhando e buscando por ela. Valorizar aquilo que faz é importante para todo mundo, seja realizando um trabalho remunerado ou não.

Hoje, sou um exemplo vivo disso, depois de tanto tempo descobri minha verdadeira vocação e estou disposta a batalhar e correr atrás de tudo o que for possível para ter sucesso na minha nova escolha. É perda de tempo escolher uma profissão meramente pelo salário médio que seus profissionais recebem.

Mesmo que o início seja difícil, planejando e investindo na carreira, você pode ser um profissional bem sucedido em qualquer área. Pense nisto antes de escolher a sua carreira e esteja pronto para mudar quantas vezes forem necessárias.

“Sua tarefa é descobrir o seu trabalho e, então, com todo o coração, dedicar-se a ele.” (Buda)

Leave a Reply